Monday, 21 de May de 2018

Monday, 21 de May de 2018

OPINIÃO


Economia

A escorchante e injusta carga tributária brasileira

20 Apr 2018    15:19
A escorchante e injusta carga tributária brasileira

O brasileiro trabalha mais de 5 meses por ano (153 dias) apenas para pagar impostos, taxas e contribuições aos governos federal, estadual e municipal. Existem cerca de 90 modalidades diferentes de obrigações tributárias que infernizam o cotidiano da população. Neste cipoal de normas tributárias, deve-se considerar que as regras mudam constantemente, para desespero dos contribuintes e alegria dos advogados tributaristas.

Desde 1990, posse de Fernando Collor, primeiro presidente eleito democraticamente depois da ditadura militar, a carga tributária brasileira só cresce. Em 1990 ela correspondia a 23% do PIB, em 2017 chegou a 33% do PIB. Como não houveram condições políticas para aumento de impostos desde 2014, em função de escândalos de corrupção, recessão econômica, impeachment da presidente Dilma, as contas públicas apresentaram um déficit em torno de R$ 150 bilhões, financiados por empréstimos bancários. A situação fiscal de estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul é dramática. Ou seja, a carga tributária brasileira que é uma das mais altas do mundo, ainda é pequena para fazer frente aos gastos governamentais, muitos deles inúteis.

Imposto tem uma essência positiva, como mecanismo de redistribuição de renda, visando uma maior justiça social. Aqueles que possuem mais, renda e patrimônio, deveriam pagar mais, em relação aos que têm menos, desse modo subsidiando as necessidades dos mais pobres como: educação, saúde, moradia, segurança, transporte, saneamento básico. Mas aqui, não é isso que acontece. No Brasil, além de se pagar muito em geral, o pobre paga, proporcionalmente mais do que o rico, outra injustiça social. Isto se deve a que a estrutura fiscal no Brasil taxa mais a produção, o trabalho e o consumo, quando deveria taxar mais a renda e o patrimônio. O pobre paga mais porque praticamente toda a sua renda está comprometida com necessidades essenciais: moradia, alimentação, transporte, vestuário, bens e serviços que embutem imposto indireto, assim, a cada 4 pratos de comida, por mais simples que seja, 1 vai para o governo. Podemos dizer que a classe dos mais necessitados vive em uma condição servil e de semiescravidão e que o sistema fiscal é o responsável.

Para atender aos gastos sempre crescentes da máquina pública, executivo, legislativo, judiciário, empresas estatais, os "senhores feudais de plantão", não importando a ideologia política, só conhecem um caminho: aumentar impostos, infelicitando os brasileiros e impedindo um real crescimento econômico e uma melhor condição de vida.

*Celso Luiz Tracco é economista e autor do livro Às Margens do Ipiranga - a esperança em sobreviver numa sociedade desigual.

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

18

PARABÉNS!
PARABÉNS!

18

BOM
BOM

19

AMEI!
AMEI!

18

KKKK
KKKK

13

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

15

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

14

CREDO!
CREDO!

Leia por assunto:

Carga Tributária Brasil PIB

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:

Gerente de Planejamento

Ciência & Tecnologia

Gerente de Planejamento


Eleições 2018

Kátia Abreu: “vou fechar a torneira da corrupção para devolver o dinheiro do povo”

Candidata recebe apoio em Pedro Afonso e Itacajá ao apresentar propostas para desenvolvimento e combate à pobreza

Eleições 2018

“Salvadores da pátria levaram TO à bancarrota”, diz Carlesse

“Os que de fato lutam para melhorar o Estado estão aqui, nesse palanque, porque acreditam em um projeto de estabilidade. Que lutam por um Tocantins melhor para todos”, disse, sobre seus aliados.



Tocantins

MPE denuncia acusado de extorquir dinheiro de mulher com fotos íntimas

Apurou-se que as ameaças se intensificaram e a vítima, coagida e intimidada, aceitou entregar a quantia de R$ 300,00


Eleições 2018

Na Fieto, Vicentinho indicou a possibilidade de reduzir a carga tributária do Tocantins

Vicentinho Alves demonstrou preocupação com as contas públicas e destacou a necessidade do governo do Estado “não gastar mais do que arrecada”.


Educação

População de Guaraí ganha a 8ª unidade do Colégio da Polícia Militar

A solenidade realizada na tarde desta quinta-feira, 17, contou com a presença da secretária da Educação, Juventude e Esportes, Adriana Aguiar e do comandante da Polícia Militar, coronel Jaizon Veras Barbosa


Rally Baja Jalapão

4º Rally Baja Jalapão 500: roteiro passará por três cidades


Márlon Reis

“Precisamos que o Governo diminua para que a Tocantins cresça”, diz Márlon Reis durante encontro na Fieto


Tocantins

Justiça do Tocantins descumpre decisão do STJ sobre prisão domiciliar


Campanha

Hospital Municipal de Araguaína conscientiza pais sobre abuso e exploração sexual infantil


Festival

Festival atrai pesquisadores do circo brasileiro


Mário Lúcio

“Entendo que só a política séria pode melhorar a vida das pessoas”, diz Mário Lúcio na TV em Araguaína



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira