Thursday, 02 de April de 2020

OPINIÃO


Ponto de Vista

Cobrança indevida de bagagem por cias aéreas

25 Feb 2020
Cobrança indevida de bagagem por cias aéreas

Por Cassio Faeddo

O feriado do Carnaval chegou e os consumidores do transporte aéreo irão se deparar com mais uma dificuldade quando forem embarcar em algum aeroporto nacional.

A Resolução da ANAC 400/16 em seu art. 14 determina que o “transportador deverá permitir uma franquia mínima de 10 (dez) quilos de bagagem de mão por passageiro de acordo com as dimensões e a quantidade de peças definidas no contrato de transporte.”

 E complementa no § 1º: “Considera-se bagagem de mão aquela transportada na cabine, sob a responsabilidade do passageiro”.

Na referida Resolução 400 o transporte de bagagem é considerado contrato acessório, ou seja, não integra propriamente o contrato de transporte do passageiro.

Se não bastassem as idas e vindas decorrentes da MP 863/18, e o veto do presidente Jair Bolsonaro do despacho gratuito de bagagens de até 23 kg em voos nacionais e de até 32 kg em destinos internacionais, algumas companhias aéreas, especialmente aquelas denominadas de baixo custo, aderiram ao famoso “jeitinho” e burlam as regras.

Essas companhias legislaram e criaram dois tipos de bagagem: bagagem de mão e bagagem de cabine. Bagagem de mão seriam aquelas que o passageiro consegue carregar embaixo do assento e as de cabine aquelas acomodadas no bagageiro acima dos bancos dos passageiros.

Há outras formas de classificação dependendo da companhia, mas de forma geral, as empresas cobram por malas de até 10kg, ferindo a resolução da Anac e a legislação em vigor.

Entendemos tratar-se de cláusula abusiva, uma vez que o consumidor não possui possibilidade de escolha.

O art. 157 do Código Civil trata da lesão que são aqueles casos de “quando uma pessoa, sob premente necessidade, ou por inexperiência, se obriga a prestação manifestamente desproporcional ao valor da prestação oposta”.

Esclareça-se que na 5º Jornada de Direito Civil realizado pelo Centro de Estudos Judiciários (CEJ), órgão do Conselho da Justiça Federal (CJF), foi aprovado Enunciado definindo que art. 157 não deve necessariamente significar imaturidade ou desconhecimento em relação à prática de negócios jurídicos em geral, podendo ocorrer também quando o lesado, ainda que estipule contratos costumeiramente, não tenha o hábito de celebrar especificamente a modalidade negocial em causa.

Sobre Cassio Faeddo: Advogado. Mestre em Direitos Fundamentais. MBA em Relações Internacionais - FGV SP

COMPARTILHE:


Confira também:


Contenção de Gastos

Governador discute com poderes e instituições medidas para reduzir gastos públicos por causa da queda na arrecadação

Reunião convocada pelo Chefe do Poder Executivo reuniu os gestores para debater alternativas visando adequar as despesas à nova realidade financeira em virtude da crise causada pelo novo Coronavírus

Condenação

MPTO obtém condenação de ex-prefeito de Palmas Raul Filho e da esposa por esquema criminoso envolvendo empresa responsável por limpeza e coleta de lixo

Os dois políticos e mais 12 pessoas foram denunciados pelo Ministério Público do Tocantins (MPTO) por formação de quadrilha, corrupção passiva, fraude à licitação, dispensa de licitação fora das hipóteses previstas em lei, apropriação indébita e desvio de


Pandemia

Governo do Estado disponibiliza informações sobre contratos referentes à Covid-19 no Portal da Transparência

O objetivo é garantir a transparência e a publicidade quanto aos gastos referentes ao enfrentamento da Covid-19 no Estado


Atendimento remoto

Após ampliação, Delegacia Virtual bate recorde e registra 1028 ocorrências em março

O número foi muito superior ao registrado em fevereiro, que fechou com 626 Boletins de Ocorrência.


DOU

Mais de sessenta municípios tocantinenses têm incremento do PAB, informa ATM


Saúde

Ambulatório do Hospital Geral de Palmas é entregue após reforma


EDUCAÇÃO E PANDEMIA

Ano letivo poderá ter menos de 200 dias, diz Ministério da Educação


Pandemia

Portaria autoriza mototaxistas de Palmas a fazerem serviço de entregas durante período de isolamento social


Infraestrutura

Trecho da TO-010, entre Lajeado e Tocantínia, começa a receber melhorias


Alerta

Ayres defende que sem isolamento social municípios não podem decretar calamidade pública



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira