Friday, 18 de October de 2019

OPINIÃO


Câncer de Pele

TOCANTINS registrou 1703 casos de câncer de pele

25 Sep 2018    14:56

Entre os meses de agosto, setembro e outubro o tocantinense precisa conviver não apenas com as altas temperaturas que chegam a 40ºC, mas também com a umidade do ar abaixo de 20%, e pouquíssimas nuvens no céu. O que significa que nessa época, a radiação dos raios ultravioleta chega a atingir níveis preocupantes à saúde da população, causando problemas como  envelhecimento precoce, câncer de pele, entre outros. 

De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde do Tocantins (SES), o Hospital Regional de Araguaína registrou 1703 casos de câncer de pele entre os anos 2000 a junho de 2018. Só em 2017 foram 100 casos novos e este ano, 54. 

Ainda conforme o órgão, o número de óbitos por câncer de pele em todo o Tocantins, de 2017 até o presente momento, foram 32 óbitos, sendo 14 casos por câncer de pele do tipo melanoma. 

O câncer de pele é uma doença séria. Ele é definido pelo crescimento fora do comum e descontrolado das células que compõem a pele. Um dos fatores de risco é a grande exposição ao sol sem proteção adequada (quanto mais queimaduras solares a pessoa sofreu durante a vida, maior é o risco dela ter um câncer de pele), histórico familiar e baixa imunidade.

Há dois tipos de câncer de pele: o melanoma e o não melanoma. O primeiro tem origem nos melanócitos (células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele) e é mais comum em adultos brancos. 

O melanoma representa apenas 3% das neoplasias malignas do órgão, porém é mais grave, por conta da alta possibilidade de metástase.

Já o câncer de pele do tipo não-melanoma é o de maior incidência na população, porém de mais baixa mortalidade. Comum em pessoas com mais de 40 anos, é raro em crianças e negros, com exceção daqueles já portadores de doenças cutâneas anteriores. 

"O câncer de pele se desenvolve quando as células da pele se danificam e crescem de forma descontrolada. Com isso, células da epiderme se dividem e desprendem-se do corpo. Porém se o corpo não consegue fazer a reparação da célula ela deixa de passar por esse processo natural, mas continua a crescer e a se dividir e pode provocar um inchaço visível sobre a pele, danificar o tecido em volta ou se espalhar para outras áreas do corpo", explica a médica. 

Segundo a dermatologista Raquel Amashta, apesar de ser uma doença comum, o câncer de pele apresenta altos percentuais de cura, principalmente se for detectado precocemente. 

"O médico dermatologista é o profissional que está na linha de frente do tratamento, da prevenção e do diagnóstico. É quem faz todo o acompanhamento do paciente.  É fundamental que todo o processo tenha participação do dermatologista, já que o diagnóstico só pode ser confirmado por ele. Quando existe a suspeita, apenas o médico pode confirmá-la" explica Raquel.  

COMPARTILHE:


Confira também:


Divisa de Estados

Governadores Mauro Carlesse e Mauro Mendes destacam aspectos positivos da rodovia Transbananal

Trecho em questão tem cerca de 90 km e corta a Ilha do Bananal, de Formoso do Araguaia (TO) a São Felix (MT).

Saúde

Opera Tocantins realiza quase 70 cirurgias em 10 dias e espera fechar outubro com mais de 150

As cirurgias acontecem em diversas Unidades Hospitalares do Tocantins sempre em horários diferenciado, fora da carga horária ordinária, como sábados, domingos, feriados, dias de ponto facultativo e ou em período noturno/madrugada.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira