Thursday, 23 de May de 2019

OPINIÃO


Ponto de vista

Um ano que se perpetuará

31 Oct 2018    22:43    alterado em 31/10 às 22:43

*Flavio Crepaldi

Ao encerrar o Ano do Laicato no Brasil, a Igreja Católica reafirma o valor e a especificidade dos leigos. Entre as inúmeras contribuições do Concílio Vaticano II para o aggiornamento (atualização) da Igreja Católica, estão a reflexão e o aprofundamento do papel do leigo dentro do corpo eclesial.

Tamanha novidade, somada a tantas outras propagadas pelos documentos oficiais, causou, ao mesmo tempo, uma imensa alegria e perplexidade. Por um lado, soterrou-se a ideia de que existem cristãos de “segunda classe”, aqueles que estão na Igreja somente para receber os benefícios adquiridos e distribuídos por outros, como meros espectadores. Por outro, como entender esse papel próprio do leigo dentro do corpo místico de Cristo, que é a Igreja?

Quarenta anos depois, o Documento de Aparecida, produzido pelos bispos de toda América Latina e Caribe, veio sintetizar uma discussão tão complexa com o binômio: discípulos missionários. Todos os cristãos são chamados a ser discípulos, a aprender, a se formar e deixar-se moldar pela Igreja. Mas, também são chamados a ser missionários, a edificar e propagar essa fé viva na sociedade a que pertencem, sendo protagonistas de uma mudança.

O Ano do Laicato veio como um selo a confirmar e promover, o papel próprio, específico e insubstituível dos leigos na vida eclesial e social. São, em primeiro lugar, os leigos que permitem a penetração da vivência da fé nas realidades sociais. Chamados a exercer funções no mundo, a estar presentes onde os sacerdotes e consagrados não podem atuar, cabe aos leigos assumirem o papel de fermento vivo para gerar uma sociedade construída sobre valores verdadeiramente evangélicos.

Sem a presença dos leigos, toda a contribuição da Igreja para promover realidades sociais, políticas e econômicas mais justas, e que preservem toda a dignidade humana, passam a ser somente ideias e ideais vindos “de fora”, sem contato efetivo e maduro com a estrutura do mundo.

Os leigos, portanto, não somente pertencem à Igreja, mas são Igreja atuante no mundo. Não devem ser apenas contabilizados como parte da sociedade, mas assumem o múnus profético, régio e sacerdotal de Cristo no meio do seu povo, em comunhão com os membros das sagradas ordens e religiosos.

Junto ao sacrifício oferecido no altar, oferecem suas lutas, obras e preces cotidianas. Oferecem sua vida conjugal, familiar e todas as suas relações de trabalho, para edificar a Igreja no mundo e em si mesmos.

Com seu testemunho de vida, tornam-se verdadeiros sinais de que existe a real possibilidade de construção de um mundo melhor para todos. Sobretudo, possuem a penetração do sal, o poder de crescimento do fermento e a capacidade de revelação da luz em situações e condições por vezes tão amargas, desprovidas de vida e envolvidas nas trevas da ignorância e do erro.

Um ano de valorização e reflexão sobre o papel dos leigos na Igreja e na sociedade do Brasil serviu, não como ponto de chegada, mas como novo começo, maior adesão à hierarquia e, sobretudo, maior harmonia entre os diversos membros desse corpo instituído por Deus para trazer, não só vida nova, mas vida em abundância por onde quer que atue e esteja presente.

* Flávio Crepaldi é colaborador da Fundação João Paulo II e colunista do Canal Formação, no Portal cancaonova.com

COMPARTILHE:


Confira também:


Investimento

Em São Paulo, governador Carlesse prospecta investimentos em logística, energia solar e indústrias

Também foi discutida possibilidade de instalação de uma montadora de aviões leves em Gurupi

Sisu

Estudantes podem consultar vagas do Sisu

Podem participar do Sisu os estudantes que fizeram prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018 e obtiveram nota na redação acima de zero.


CPI do PreviPalmas

Max Fleury é ouvido na CPI do PreviPalmas

O ex-presidente do PreviPalmas estava no comando quando o instituto fez um investimento na ordem de R$ 30 milhões no Cais Mauá, como também, aplicou R$ 20 milhões no Fundo Tercon.


Fenelon Barbosa

Primeiro prefeito acredita que Palmas será uma das maiores e melhores cidades do Brasil

Ex-prefeito de Palmas conta a história da luta pela criação e construção da mais nova capital do país


Homenageados

Carlesse e vice-governador Wanderlei Barbosa são homenageados em sessão pelos 30 anos de Palmas


Taguatinga

Polícia Civil prende suspeito de estupro de vulnerável no sudeste do Estado


Mandado de prisão

Condenado por roubo é preso pela Polícia Civil em Palmas


Palmas 30 anos

Em entrevista exclusiva, Siqueira Campos diz que Palmas integrou e fortaleceu a economia do Tocantins


Norte do TO

BRK Ambiental leva teatro sobre preservação para mais de 30 escolas do Bico do Papagaio


FORJEF

I Fórum Interinstitucional dos Juizados Especiais Federais do Tocantins termina com balanço positivo



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira