Wednesday, 20 de November de 2019

POLÍTICA


O mandante

Bolsonaro volta a estimular ataques a reservas: “É muita terra pra pouco índio”

31 Aug 2019    13:02    alterado em 31/08 às 13:02
Marcos Correa Bolsonaro volta a estimular ataques a reservas: “É muita terra pra pouco índio” Bolsonaro em reunião com bancada do Mato Grosso, estado onde terra indígena foi quase toda destruída por queimadas

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a dar declarações contra a demarcação de terras indígenas, afirmando ainda que pretende rever áreas já reservadas às comunidades tradicionais.

As reiteradas falas de Bolsonaro nesse sentido têm sido apontadas como incentivadoras de invasões, ataques e queimadas contra terras indígenas por parte de grileiros, garimpeiros e pecuaristas, que agora sentem-se liberados pelo presidente da República.

Os relatos do aumento da agressividade dos invasores vêm de vários pontos do país.

Nesta semana, o Ministério Público Federal do Pará emitiu alerta de que garimpeiros têm feito ameaças contra tribos xikrin no sudeste Estado e solicitou apoio da Polícia Federal.

No Mato Grosso, incêndios destruíram quase que inteiramente a Terra Indígena Areões, habitada por Xavantes.

Bolsonaro não parece preocupado com nada disso. Ao contrário, nesta sexta-feira (30) voltou a atacar as demarcações.

“É muita terra para pouco índio, e sem lobby. Qual é o interesse por trás disso?”, acusou. “A minha decisão é não demarcar mais terra para índios. Aquelas que foram demarcadas de forma irregular, caso tenhamos algo concreto nesse sentido, é buscar a revisão das terras”, disse ao ser questionado se vai rejeitar os quase 500 pedidos que existem para novas demarcações.

Edição: João Paulo Soares

COMPARTILHE:


Confira também:


Saúde

Uso inadequado de antibióticos aumenta resistência de bactérias

Prática pode levar ao agravamento de doenças, alerta OMS


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira