Wednesday, 24 de July de 2019

POLÍTICA


Livro

José Dirceu fala dos riscos para a classe trabalhadora com a ascensão da extrema direita ao poder

05 Dec 2018    17:34    alterado em 05/12 às 17:34

Reflexão sobre as políticas inclusivas no país e os riscos que a classe trabalhadora corre com a ascensão da extrema direita ao poder, foi o tom da palestra do ex-ministro e ex-presidente do PT, José Dirceu, durante o lançamento do livro “Zé Dirceu – Memórias volume 1”, na noite desta terça-feira, 4, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Eletricidade do Tocantins (Steet), em Palmas.

“Precisamos entender, compreender e analisar as forças políticas que levaram o Bolsonaro à Presidência da República. Ele representa a elite brasileira, ele representa a coalização dos bancos, das grandes empresas e dos militares”, disse José Dirceu.

O ex-ministro afirmou que o único período da história do país em que se distribuiu renda entre os brasileiros foi durante os governos Lula. “Querem enterrar a era Lula que foi quando o estado brasileiro distribuiu renda. O nosso país é desenvolvido e tem pobreza e miséria porque a riqueza e a renda são concentradas, e o que o Lula fez foi desconcentrar e colocar o estado a serviço do trabalhador”, destacou.

Com a ascensão da extrema direita ao poder, pelo voto popular, e a preocupação dos brasileiros com a segurança da família, Dirceu foi categórico ao asseverar que quem mais ajudou a família brasileira nesses últimos 20 anos se não foi o Lula. “Foi no governo Lula que o estado brasileiro garantiu a assistência médica, a escola, a creche, garantiu emprego. Tudo isso é cuidar da família, é cuidar da segurança, pois se temos emprego e qualidade de vida para o trabalhador os índices de violência diminuem”, alertou.

Memórias
A busca por uma sociedade justa e igualitária é histórica no Brasil e como militante do movimento estudantil na luta contra a ditadura militar na década de 1960, José Dirceu iniciou sua trajetória e protagonismo na história do país.

“Passei por vários espaços, pela clandestinidade, fui para Cuba e quando volto ao Brasil eu conheço o país, pois quando fui preso em 1968 eu não conhecia o Brasil. No exterior eu estudei o Brasil e aqui quando fiquei seis anos no Paraná com outro nome, eu viajava”, declarou.

No livro, José Dirceu contou que, decidiu relatar as transformações que viu no Brasil. “A luta social e política foi mudando, o país foi mudando e nesse livro coloco as memórias que tenho”, explicou.

O livro editado pela Geração Editorial e escrito por Dirceu durante o tempo em que ficou preso, traz um relato da experiência do ex-ministro da Casa Civil do governo Lula desde o ano 1965 até 2005 e o lançamento em Palmas contou com a presença de centenas de militantes e simpatizantes da esquerda, bem como os deputados Paulo Mourão, Zé Roberto e Nilton Franco.

Cultura local
O momento trouxe aos tocantinense, além da palestra de Dirceu, uma noite de autógrafos ambientada com o som da artista tocantinense Nacha Moreto, interpretando Mercedes Sosa.

COMPARTILHE:


Confira também:


TRE-TO

Partidos Políticos têm 30 dias para informar CNJP à Justiça Eleitoral

No Tocantins, conforme informações da Secretaria Judiciária e de Gestão da Informação do TRE-TO, 29 partidos estão em situação irregular por não terem realizado o cadastro de seus diretórios municipais ou regularizado o Código de Natureza junto ao CNPJ

Queda de Braços

Prefeita Cinthia Ribeiro ataca Palácio Araguaia e governo libera servidora para assumir pasta da educação

Mesmo liberando a servidora Cleizenir Divina dos Santos para assumir a educação do município governo não demonstra interesse em participar da gestão Cinthia.



Pedro Afonso

Após recorde de soja, Coapa registra produção histórica no recebimento do milho safrinha

O presidente da Coapa aproveitou para parabenizar a equipe de colaboradores pela dedicação no atendimento aos produtores e por garantir um bom resultado na safra.


Fórum

Banco não dá baixa em alienação fiduciária de veículo, quitado há 3 anos, e terá que indenizar consumidor em R$ 15 mil por danos morais

Em sua defesa, a instituição bancária alegou que a baixa da alienação já havia sido feita, mas o magistrado entendeu que ficou configurado o ato ilícito praticado pelo banco, pois não existem documentos que comprovem essa efetivação


Miracema

Miracaxi mantém tradição e agrada público local e turistas

O evento foi reforçado com segurança particular especializada, detector de metais, câmeras de monitoramento da PM e do município, policiamento militar, civil, força tática e Corpo de Bombeiros.


Hospital de Amor

Ao completar 10 anos, Leilão Pecuária Solidária volta a Palmas: edição deste ano será dia 9 de novembro


Poluição

Aceiros realizados pela Seder no Parque Estadual do Lajeado auxiliam no combate às queimadas


Palmas

Divulgado resultado preliminar dos projetos classificados para concorrerem ao Edital do Itaú Social 2019


Turismo

Taquaruçu merece um olhar especial por parte das gestões públicas


Defensoria

Dados apontam que 81,6% das pessoas atendidas pela Defensoria Pública vivem com até um salário mínimo


Seciju

Ações contra violações de direitos são realizadas em praias do estado



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira