Friday, 04 de December de 2020

POLÍTICA


Política

Mais um golpe na campanha de Raul

25 Jul 2008

Mal começou o processo eleitoral e o prefeito Raul Filho (PT) já sofre o terceiro golpe em sua campanha. Desta vez, como já estava previsto, as obras do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, do Governo Federal - nos 119 municípios brasileiros que estão sendo investigados pela Operação João de Barro da Polícia Federal foram suspensas.

O primeiro grande gargalo na campanha de Raul começou no dia 20 de junho, com o início da Operação. Na ocasião, foram expedidos três mandados de busca e apreensão. Um à residência do prefeito, outro à Secretaria Municipal de Finanças e o terceiro à residência do ex-chefe de gabinete do prefeito Gustavo Coelho.

O segundo golpe na campanha do candidato petista foi ter seu nome incluído na relação divulgada pela AMB – Associação dos Magistrados do Brasil, que listou 15 candidatos a prefeito e vice-prefeito que respondem a ações penais de improbidade administrativa e eleitoral nas capitais. Raul foi o único entre os cinco candidatos da capital com a “ficha suja”.

O terceiro e, por enquanto, último golpe, foi divulgado na sexta-feira, 25, quando a Caixa Econômica Federal e o Ministério das Cidades suspenderam todas as obras do PAC nos 119 municípios investigados pela Operação João de Barro. A suspensão das obras se deve a recomendação da Controladoria Geral da União (CGU).

No total, mais de 20 obras terão seus processos licitatórios paralisados. Outras, no entanto, que já estão mais adiantadas, como é o caso do Parque do Povo, que tem 92% do projeto concluído, não serão suspensas devido ao fato dos recursos já terem sido aplicados.

Quase R$ 140 milhões investidos pelo programa na capital são de obras da prefeitura e outros R$ 159 milhões do governo do estado. Todas as obras com recursos do governo federal na capital estão suspensas por determinação da Caixa, mesmo o estado não sendo alvo das investigações da PF.

Foram suspensas obras de habitação, recuperação de vias públicas e construção de praças. Segundo relatório da prefeitura, a suspensão das obras deve prejudicar mais de 15 mil famílias e outras 1.500 deverão receber seus imóveis após a data prevista.

Nota divulgada pela Procuradoria Geral do Município afirma que o órgão já recorreu da decisão e espera que assim que o pedido de liminar for analisado pela Justiça Federal, os repasses dos recursos aconteçam normalmente, garantindo a continuidade das obras. A nota também alega que a decisão tomada pela Caixa de suspender as obras foi precipitada, já que a Controladoria Geral da União (CGU) apenas recomendou que as obras fossem suspensas.

Como as campanhas estão apenas começando, outras surpresas ainda podem acontecer até as eleições, como afirmou o próprio candidato em entrevista ao Jornal O GIRASSOL no último dia 21. “Como a política e o processo eleitoral são muito dinâmicos, ainda pode haver surpresas, agradáveis ou desagradáveis”, concluiu. Será que Raul já estava esperando por mais este golpe?

COMPARTILHE:


Confira também:


Cestas Básicas

Governo do Tocantins atende 5 mil Famílias com kits de alimentos na região sul e sudeste do Estado

Ação faz parte da nova etapa para entrega de 200 mil cestas básicas nos 139 municípios tocantinenses


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira