Wednesday, 21 de August de 2019

POLÍTICA


Câmara

Parlamento abre espaço para comunidade discutir Lei de poluição sonora em Palmas

29 Jun 2019    13:42    alterado em 29/06 às 13:42
Jessika de Jesus Parlamento abre espaço para comunidade discutir Lei de poluição sonora em Palmas

A Câmara Municipal de Palmas oportunizou importante debate, durante a reunião da Comissão de Administração Pública, Urbanismo e Infraestrutura Municipal, que aconteceu na quarta feira, 26. A audiência pública tratou sobre os mecanismos legais referentes às condutas de fiscalização, questões tributárias, bem como análise e esclarecimento do Projeto de Lei nº. 30/2018 de autoria do Poder executivo Municipal.

O referido PL trata do esclarecimento de normas gerais sobre o controle da poluição sonora, limite máximo de intensidade da emissão de sons ou ruídos no âmbito do Município, proíbe a perturbação do sossego e do bem estar público, define exceções, competências para fiscalização e limites permitidos para sonorização, além das penalidades pelo cometimento de infração.

O vereador Filipe Fernandes (DC), presidente da referida Comissão, ressaltou que a discussão é indispensável para que possa chegar a um denominador comum: “A finalidade é procurar a saída para que todos desenvolvam seu trabalho respeitando o outro” ressaltou.

O Presidente da Ordem dos Músicos em Palmas, Jeremias Moreira explanou acerca da situação atual dos músicos. “A falta de regulamentação é uma situação antiga. É muito importante a Casa ter aberto esse espaço para nós. Esse problema que estamos enfrentando não é somente em Palmas. Vários municípios também estão passando por essa situação. Nós podemos contribuir com a elaboração dessa lei” explicou.

Conforme a Secretária Executiva da Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana, Denise Marcela é importante encontrar um equilíbrio entre as partes. “Não estamos contrários aos músicos, nem aos comerciantes ou mesmo aos jovens que estão se divertindo. Estamos tentando buscar alternativas definitivas que causem o menor impacto e descontentamento possível” afirmou.

O senhor Roberto Vilela, representou um condomínio localizado próximo ao shopping Capim Dourado, e relatou a dificuldade dos moradores em dormir durante a realização de um show no shopping. “Ficou impossível suportar o som dentro de casa. É um prédio de 162 unidades, ninguém conseguiu dormir, e a festa continuou até as 08 horas da manhã. Não acho justo, promovem um show para divertir, mas em contrapartida os outros sofrem as conseqüências. Sou sensível aos direitos dos músicos e casas de show, mas sou favorável ao controle.”

Já o advogado Edivaldo Vieira, membro da Comissão de Poluição Sonora da OAB/TO, explicou que a lei é gradativa e proporcional: “Democracia pressupõe atender a maioria das pessoas. Perturbação do sossego não é só som alto, é o som contínuo e sistemático que causa o ruído e afeta as condições físicas de quem está ouvindo”. Além disso, Vieira ressaltou que a área musical mobiliza a economia, no entanto, não pode se confundir cultura com educação. Ele ressaltou ainda que “o fato é que as demandas nos finais de semana são inúmeras, nem a Guarda Metropolitana e nem as Policias conseguem atender tantas reclamações da população. Não podemos atender, em detrimento da sociedade, apenas alguns grupos. Tem que haver equilíbrio e harmonia” finalizou.

Participaram e, também, colaboraram com o debate, os vereadores Major Negreiros (PSB), Etinho Nordeste (PTB), Filipe Martins (PSC), Rogério Santos (PRB), Lúcio Campelo (PR) e Claudemir Portugal (PRP), além dos representantes da Polícia Militar do Estado, da Guarda Metropolitana, de órgãos de controle ambiental do Município, representantes de classe e a população em geral.

COMPARTILHE:


Confira também:


Justiça

União pode bloquear repasses voluntários a estados, decide STF

A possibilidade do bloqueio está prevista no artigo 11 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LC 101/2000), cuja validade é julgada nesta quarta-feira pelo plenário do Supremo.

Operação Medusa

Polícia Civil prende 15º suspeito da Operação Medusa

Deflagrada no último dia 15, a Operação Medusa visa combater ataques criminosos ocorridos em 2018 a mando de facção criminosa de renome nacional.


Saúde

Pacientes do Tocantins correm o risco de ficar sem diálise

Instituto de Doenças Renais não recebe repasses desde abril. 140 pacientes serão prejudicados pela ausência de recursos para oferecer o tratamento adequado


Fotografia

Dia da Fotografia com a TIM: dicas para tirar boas fotos e ofertas em smartphones

Quando o assunto é fotografia, o foco é o mais importante na hora de fazer os cliques. O elemento a ser destacado deve estar claro e bem posicionado.


Festival Gastronômico

Prefeitura lança programação artística do 13º Festival Gastronômico de Taquaruçu


AL

Audiência pública homenageia UMA e Siqueira Campos


Agricultura

Seminário de Apicultura supera expectativa em números de participantes


Futebol

Capital empata com Palmas na abertura do Estadual de Futebol Sub19


Taquaruçu

Governo inaugura Núcleo de Identificação de Taquaruçu e entrega viaturas e armamentos para a Polícia Civil


Sanidade Animal

Adapec reúne mais de 70 médicos veterinários autônomos para debater sanidade animal



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira