Monday, 14 de October de 2019

SAÚDE


Saúde

Contraceptivos de longa duração ganham espaço entre mulheres jovens

23 Jul 2013

Segundo o Dr. José Bento, ginecologista e obstetra dos hospitais Albert Einstein e São Luís, a procura por este tipo de contracepção aumentou inclusive entre as mulheres bastante jovens, na faixa dos 18 anos. “É um movimento interessante, mulheres cada vez mais novas estão procurando contraceptivos de longa duração, não só para prevenir gravidez, mas para minimizar outros problemas”, comenta o especialista.

 

De acordo com o médico, os métodos de longa duração podem ser uma alternativa para aquelas mulheres que se esquecem de tomar a pílula diariamente. Além disso, esse tipo de método traz outros benefícios como diminuir sangramentos menstruais abundantes.

 

Atualmente, são considerados métodos de longa duração: DIU de cobre, SIU hormonal e implante subcutâneo. “O mais importante é sempre conversar com um médico para saber qual o contraceptivo mais indicado para cada mulher”, conclui o Dr. José Bento.

É importante lembrar que os métodos de longa duração não previnem as doenças sexualmente transmissíveis.

 

SIU Hormonal

O sistema intrauterino (SIU) hormonal (Mirena®, da Bayer HealthCare Pharmaceuticals) é similar ao DIU de cobre apenas em seu formato. Ao invés do revestimento metálico, o SIU hormonal é feito de material plástico e possui um dispositivo que contém 52 mg do hormônio levonorgestrel. Este hormônio sintético é liberado em pequenas doses ao longo de cinco anos diretamente na região uterina. Além da alta eficácia, existe a vantagem da praticidade posológica e a menstruação tende a diminuir muito, podendo até desaparecer.

 

Implante subcutâneo

O implante subcutâneo é um microbastão de hormônio sintético similar à progesterona, que deve ser implantado no antebraço com anestesia local através de uma microcirurgia. Este hormônio age na inibição da ovulação, impedindo a gravidez e pode durar até 3 anos.

 

DIU de Cobre

É uma pequena peça de plástico que é inserida no útero da mulher. O dispositivo intrauterino de cobre tem efeito espermicida, destruindo os espermatozoides e, por meio da ação dos fios de cobre, impedindo que eles cheguem a ser fecundados. Dependendo do modelo dura de 3 a 10 anos.

 

Fonte: Burson-Marsteller

COMPARTILHE:


Confira também:


Fim de semana

Atletas quenianos são vencedores da XIX Meia Maratona do Tocantins

Do Tocantins, o atleta Antônio Wilson, de Araguaína, faturou o segundo lugar na corrida dos 21 km

HIP

Música e circo alegram pacientes do Hospital Infantil de Palmas

A unidade teve uma semana repleta de programação especial em comemoração ao Dia das Crianças


Campo

Seminário de Agroecologia debate fortalecimento das cadeias produtivas de forma sustentável e consciente

Cerca de 300 pessoas, entre autoridades federais, estaduais e municipais, como também professores, estudantes, pesquisadores, técnicos e agricultores prestigiaram o encontro


Campanha

Entenda o que é o câncer de mama e quem precisa fazer a mamografia

A Dra. Andrea Cubero, mastologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, explica que a principal manifestação da doença é um nódulo irregular, fixo e geralmente indolor, e está presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela pró


Sul do TO

Governador e Primeira-dama prestigiam festa das crianças em Gurupi


Consumidor

Procon Tocantins oficia MPE sobre devolução do dinheiro dos ingressos da ExpoPalmas


Contratempo

BRK não cumpre contrato e causa transtornos para população de Colinas


Educação

Projeto pede inclusão de mensagens no combate ao abuso sexual infantil e o consumo de drogas nos livros das escolas públicas de Palmas


Ação

DPE realiza mais uma edição do “Transforme uma vida: apadrinhe uma criança” no Lar Batista


Consumidor

Com 70% de acordos feitos, Procon Tocantins divulga balanço da Semana de Renegociação de Dívidas



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira