Wednesday, 16 de October de 2019

SAÚDE


Saúde

Contraceptivos de longa duração ganham espaço entre mulheres jovens

23 Jul 2013

Segundo o Dr. José Bento, ginecologista e obstetra dos hospitais Albert Einstein e São Luís, a procura por este tipo de contracepção aumentou inclusive entre as mulheres bastante jovens, na faixa dos 18 anos. “É um movimento interessante, mulheres cada vez mais novas estão procurando contraceptivos de longa duração, não só para prevenir gravidez, mas para minimizar outros problemas”, comenta o especialista.

 

De acordo com o médico, os métodos de longa duração podem ser uma alternativa para aquelas mulheres que se esquecem de tomar a pílula diariamente. Além disso, esse tipo de método traz outros benefícios como diminuir sangramentos menstruais abundantes.

 

Atualmente, são considerados métodos de longa duração: DIU de cobre, SIU hormonal e implante subcutâneo. “O mais importante é sempre conversar com um médico para saber qual o contraceptivo mais indicado para cada mulher”, conclui o Dr. José Bento.

É importante lembrar que os métodos de longa duração não previnem as doenças sexualmente transmissíveis.

 

SIU Hormonal

O sistema intrauterino (SIU) hormonal (Mirena®, da Bayer HealthCare Pharmaceuticals) é similar ao DIU de cobre apenas em seu formato. Ao invés do revestimento metálico, o SIU hormonal é feito de material plástico e possui um dispositivo que contém 52 mg do hormônio levonorgestrel. Este hormônio sintético é liberado em pequenas doses ao longo de cinco anos diretamente na região uterina. Além da alta eficácia, existe a vantagem da praticidade posológica e a menstruação tende a diminuir muito, podendo até desaparecer.

 

Implante subcutâneo

O implante subcutâneo é um microbastão de hormônio sintético similar à progesterona, que deve ser implantado no antebraço com anestesia local através de uma microcirurgia. Este hormônio age na inibição da ovulação, impedindo a gravidez e pode durar até 3 anos.

 

DIU de Cobre

É uma pequena peça de plástico que é inserida no útero da mulher. O dispositivo intrauterino de cobre tem efeito espermicida, destruindo os espermatozoides e, por meio da ação dos fios de cobre, impedindo que eles cheguem a ser fecundados. Dependendo do modelo dura de 3 a 10 anos.

 

Fonte: Burson-Marsteller

COMPARTILHE:


Confira também:


Operação Bóreas

Polícia Civil deflagra “Operação Bóreas" em Araguaína de combate ao tráfico e crime organizado

As investigações tiveram início após as ondas de violência ocorridas na cidade em setembro passado.

TJTO

TJ garante apoio à iniciativa de Kátia Abreu para aumentar adoção de crianças acima de três anos

Esta foi a terceira reunião do grupo desde a realização de um seminário no final de agosto, promovido pela parlamentar, para debater o tema.


Região Central

Prefeitura divulga balanço econômico do 1º Festival Gastronômico de Miracema

De acordo com levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente, em 10 estabelecimentos, incluindo hotéis, pousadas e dormitórios, com cerca de 320 leitos, a média de ocupação foi de 86.25%


Vestibular Unitins

Inscrições para o Vestibular Unitins 2020/1 se encerram nesta quarta-feira, 16

As provas serão aplicadas nos quatro municípios onde a Unitins tem unidade.


Palmas

Câmara autoriza Executivo a contratar financiamento para obras de infraestrutura


Campo

Simpósio do Desenvolvimento da Aquicultura mostra potencial da cadeia da produção de peixe no Tocantins


Consumidor

Projetos desenvolvidos com crianças no Tocantins são apresentados a Escola Paulista de Defesa do Consumidor


Panorama

Confiança dos empresários do comércio tem leve aumento em outubro


Segurança

Polícia Civil realiza projeto Academia Itinerante em Gurupi na próxima semana


Economia

Governador recebe empresários interessados em implantar projeto de aproveitamento do lixo



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira