Friday, 20 de September de 2019

SAÚDE


Saúde

Contraceptivos de longa duração ganham espaço entre mulheres jovens

23 Jul 2013

Segundo o Dr. José Bento, ginecologista e obstetra dos hospitais Albert Einstein e São Luís, a procura por este tipo de contracepção aumentou inclusive entre as mulheres bastante jovens, na faixa dos 18 anos. “É um movimento interessante, mulheres cada vez mais novas estão procurando contraceptivos de longa duração, não só para prevenir gravidez, mas para minimizar outros problemas”, comenta o especialista.

 

De acordo com o médico, os métodos de longa duração podem ser uma alternativa para aquelas mulheres que se esquecem de tomar a pílula diariamente. Além disso, esse tipo de método traz outros benefícios como diminuir sangramentos menstruais abundantes.

 

Atualmente, são considerados métodos de longa duração: DIU de cobre, SIU hormonal e implante subcutâneo. “O mais importante é sempre conversar com um médico para saber qual o contraceptivo mais indicado para cada mulher”, conclui o Dr. José Bento.

É importante lembrar que os métodos de longa duração não previnem as doenças sexualmente transmissíveis.

 

SIU Hormonal

O sistema intrauterino (SIU) hormonal (Mirena®, da Bayer HealthCare Pharmaceuticals) é similar ao DIU de cobre apenas em seu formato. Ao invés do revestimento metálico, o SIU hormonal é feito de material plástico e possui um dispositivo que contém 52 mg do hormônio levonorgestrel. Este hormônio sintético é liberado em pequenas doses ao longo de cinco anos diretamente na região uterina. Além da alta eficácia, existe a vantagem da praticidade posológica e a menstruação tende a diminuir muito, podendo até desaparecer.

 

Implante subcutâneo

O implante subcutâneo é um microbastão de hormônio sintético similar à progesterona, que deve ser implantado no antebraço com anestesia local através de uma microcirurgia. Este hormônio age na inibição da ovulação, impedindo a gravidez e pode durar até 3 anos.

 

DIU de Cobre

É uma pequena peça de plástico que é inserida no útero da mulher. O dispositivo intrauterino de cobre tem efeito espermicida, destruindo os espermatozoides e, por meio da ação dos fios de cobre, impedindo que eles cheguem a ser fecundados. Dependendo do modelo dura de 3 a 10 anos.

 

Fonte: Burson-Marsteller

COMPARTILHE:


Confira também:


Economia

MP da liberdade econômica é sancionada; veja os principais pontos

Lei entra em vigor na data da publicação, ainda nesta sexta-feira

PPA

Governo abre consulta pública do PPA 2020-2023 e reafirma gestão voltada às necessidades da população

O vice-governador Wanderlei Barbosa destacou a relevância do formato de consultas públicas adotado pelo Governo do Estado, em que foram ouvidas milhares de pessoas de todas as regiões do Tocantins.



Operação Ruptura

Polícia Civil deflagra operação ruptura e prende vários criminosos em Araguaína

Operação resultou na prisão de um indivíduo considerado o chefe do tráfico de drogas em Araguaína


Saúde

Hospital Regional de Miracema amplia serviços e realiza cirurgia inédita

A equipe responsável pelo procedimento foi composta pelo médico urologista Danilo Maranhão; o anestesista Paulo Márcio; o médico auxiliar Jobel Egito e as equipes de enfermagem, técnica de enfermagem e limpeza.


Agenda

Em Brasília, parlamentares do Tocantins buscam recursos para obras

Para o Delegado Rérisson as reuniões foram bastante positivas.


Seu Bolso

Energisa prorroga campanha para negociação de dívidas


Premiação

Nota Quente paga R$ 10.935,88 neste sábado, 21


Saúde

Profissionais de saúde alertam sobre cuidados com as altas temperaturas na Capital


Drogas

Polícia Civil prende quatro traficantes e apreende mais de 30kg de maconha em Gurupi


Honraria

Participante de programa do Instituto TIM vence prêmio global da ONU


Agrotóxicos

Assembleia debate uso de agrotóxico em audiência proposta por Zé Roberto Lula



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira