Monday, 24 de June de 2019

SAÚDE


Sesau

Mutirão de cateterismo cardíaco no HGP zera a fila de espera pelo procedimento eletivo

30 Apr 2019    21:07    alterado em 30/04 às 21:07
Mutirão de cateterismo cardíaco no HGP zera a fila de espera pelo procedimento eletivo

O Hospital Geral de Palmas (HGP) realizou durante o último sábado, 27, o 5º mutirão de Cateterismo Cardíaco no setor de Hemodinâmica deste ano e pôs fim à fila de espera por procedimentos eletivos cardíacos. Neste ano foram realizados 641 procedimentos de alta complexidade cardiovascular, destes, 51 foram eletivos por meio dos mutirões aos sábados. No ano de 2018 foram 1.495 procedimentos.

O médico cardiologista intervencionista, Dr. Andrés Sánchez, explica como é realizado o procedimento. “O cateterismo cardíaco é um exame invasivo que estuda o coração e na maioria das vezes suas artérias, avaliando a presença de obstruções, com o papel de avaliar a necessidade de tratamento terapêutico nas artérias do coração, podendo precisar posteriormente de uma angioplastia ou eventualmente uma cirurgia ponte de safena”, esclareceu. “O cateterismo é realizado com anestesia local, com sedação leve, ou seja, não utiliza anestesia geral. Na primeira hora, após o procedimento, o paciente já pode se alimentar e ir ao banheiro, após quatro horas de repouso em média, a pessoa já pode ter alta hospitalar”, afirmou.

O médico ainda acrescentou que “no HGP foram realizados mais de 11 mil procedimentos de cateterismo desde o início do serviço em 2012 até o momento. É uma intervenção segura, com risco muito baixo e que, quando indicada, é um procedimento muito importante na avaliação dos pacientes com problemas cardíacos, já que as doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte no Brasil e no mundo”, disse. “Já realizamos outros mutirões nos anos de 2014, 2016 e 2018 zerando a fila de procedimentos eletivos em todas estas oportunidades”, concluiu.

O diretor geral do HGP, Dr. Edgar Tolini, ressaltou a relevância do mutirão na assistência ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). “É uma grande satisfação para nós poder realizar ações como esta e possibilitar zerar a lista de pacientes eletivos que aguardavam a realização dos procedimentos cardíacos na Hemodinâmica. Sabemos que o HGP é referência no Estado na alta complexidade e conta com uma equipe de profissionais compromissados e qualificados na assistência ao paciente”, destacou.

Quem foi beneficiada com um destes mutirões de pacientes eletivos foi à aposentada de 64 anos, Lúcia Maria Ribeiro de Souza. "Foi rápido, demorou menos de 10 dias desde que entramos com a documentação para autorização e eu já estou em casa. Os profissionais são competentes, me deram credibilidade na assistência, foi uma benção de Deus!", declarou.

Como funciona o atendimento
Nos casos emergência, nos pacientes que sofrem infarto, o cateterismo é realizado nos primeiros 20 minutos após a admissão no HGP. Nos casos de pacientes internados, o procedimento é realizado em no máximo um ou dois dias após a admissão no HGP. E nos casos de pacientes eletivos é necessário seguir o fluxo de autorização ambulatorial, em que o paciente precisa levar a guia na Regulação do Estado, passar por uma perícia médica, onde o médico perito avaliará o deferimento do procedimento. Depois de autorizado, rapidamente é realizado o agendamento do exame eletivo.

Sobre o setor de Hemodinâmica
No serviço de Hemodinâmica do HGP são realizados procedimentos de alta complexidade nas áreas de cardiologia intervencionista, cirurgia endovascular, arritmologia, neurologia e colangiografia endoscópica.

COMPARTILHE:


Confira também:


Opinião

Cenário político de Palmas: “aparentar ser ” e o “fazer de fato”

É fato que a campanha eleitoral de 2020 já começou. As pedras já estão se posicionando no tablado. Até o momento, de oficial mesmo, somente a candidatura à reeleição da prefeita Cinthia


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira