Sunday, 22 de September de 2019

VIVER


Cultura

Coral sinfônico do Tocantins inicia montagem de "O MESSIAS" de Frederic Handel

21 Oct 2008

Conhecido por grandes montagens e apresentações cheias de técnica e vigor, o Coral Sinfônico do Tocantins iniciou, nestes últimos dias, a montagem de mais um grande concerto: O Messias de Handel, sob a regência de seu idealizador e maestro William Fernandes. A apresentação está prevista para a primeira semana de dezembro, no Palácio do Araguaia, em Palmas. A entrada é franca.

O Messias é uma das principais obras do alemão Frederic Handel e uma das mais importantes obras sacro-clássicas da história.

George Frederic Handel é um dos três grandes compositores do séc. XVIII. De naturalidade germânica, nasceu em Halle, em 1685, e morreu em Londres, em 1759.

Consagrado como o maior provedor de concertos do Estado, o Coral Sinfônico do Tocantins abandona estilos musicais épicos, como Mozart, Bach e Beethovenn, para se entregar ao despojado estilo do barroco Handel, em uma de suas grandes apresentações na capital. Para o Maestro Fernandes, esta será a oportunidade para que outros profissionais da música possam se integrar em uma única apresentação. “A coordenadoria do coral está pensando em incluir alguns corais convidados para participar em certos trechos e na parte final, o que, além de deixar o Oratório mais impactante, permite aos grupos uma possibilidade única para interatividade” disse.

 

O GIRASSOL entrevistou William Fernandes, que comentou sobre como estão sendo os ensaios e como será o concerto.

 

 

O GIRASSOL - De onde surgiu a idéia de montar o Messias de Handel aqui no Tocantins?

William Fernandes: A idéia sempre existiu, o que faltava era maturidade vocal do grupo e condições de enfrentar o desafio. Aqui ou em Bangladesh, o Messias é, e sempre será, um deleite para qualquer platéia.

 

Bem recentemente, vocês montaram Carmina Burana, de Carl Orff, pela primeira vez no estado; antes, a Paixão segundo São Matheus, de Bach, também abrindo o precedente no estado, e agora Handel. Como é o retorno de tanto trabalho? Há reconhecimento? E o apoio vem na mesma medida dos esforços? Como está sendo com o Messias?

Sim. Sempre há muito apoio e ele é constante, só que não é proporcional aos esforços e muito menos à contribuição que essas montagens dão à comunidade. Temos apoio constante do governo do estado desde 2004, por meio da Fundação Cultural do Tocantins, que é a artéria que permite o coração do coral bater. A professora Dorinha é nossa parceira e, sempre com sensibilidade e inteligência, reconhece a importância da música erudita no processo social da comunidade. Tudo mais é luta. Local pra ensaio, estação de trabalho e administração em geral, é uma peregrinação constante que nos toma mais tempo que os próprios ensaios. O Messias está sendo montado dentro das instalações da Escola Técnica Federal, que, inesperadamente, nos ofereceu apoio. Sentimos que há quatro anos não temos tido mais possibilidades nem de diálogo com a Prefeitura, que é, no fim das contas, quem mais se beneficia de nossas atividades, já que o Sinfônico oferece seus concertos gratuitamente aqui na capital.


Como será esta apresentação?

Estamos buscando parceiros, para que possamos montá-la com orquestra, assim como fizemos com Carmina Burana, e apresentá-la, como todo fim de ano, no Palácio Araguaia, com solistas, coralistas e instrumentistas, todos da nossa comunidade. A coordenadoria do coral está pensando em incluirmos alguns corais convidados para participarem em certos trechos e na parte final, o que, além de deixar o Oratório mais impactante, permite aos grupos uma possibilidade única para interatividade. Está prevista para a primeira semana de Dezembro, e será gratuita ao público.


Há possibilidade de inserir novos coralistas a essa montagem?

Somente com experiência em canto coral. Os ensaios já começaram, e a obra, embora simples para quem ouve, é bem complexa em termos de técnica, e não há como ensinar a cantar durante uma montagem como esta. Contudo, quem já cantou em coral pode e deve nos fazer uma visita. O dia para testes será no próximo sábado, às 19h, na Escola técnica Federal. Maestros e regentes de outros grupos corais que gostariam de participar da montagem, por favor, falem com a presidente do coral pelo fone 84024931 – Ana Maria Bittencourt.

COMPARTILHE:


Confira também:


Assembleia

Deputados debatem novo projeto do marco regulatório do saneamento básico

A audiência contou também com a presença de Juliana Marques, presidente da Agência Tocantinense de Regulação (ATR), e Thadeu Pinto, presidente da BRK.

CPI

DPE-TO vai informar dados de reclamações à CPI em Gurupi sobre BRK Ambiental

Comissão da Câmara de Vereadores de Gurupi solicitou apoio informativo para fundamentar relatório sobre suposta má-prestação de serviço pela BRK Ambiental




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira