Sunday, 23 de February de 2020

VIVER


Catolicismo

Diocese de Tocantinópolis conta com cinco novos diáconos permanentes

01 Jan 2020
Diocese de Tocantinópolis conta com cinco novos diáconos permanentes

Dom Giovane Pereira de Melo, bispo da Diocese de Tocantinópolis, Regional Norte 3, celebrou a ordenação de cinco novos diáconos permanentes. Fiéis, amigos e familiares lotaram o Santuário Sagrado Coração de Jesus, em Araguaína/TO, no dia 26 de dezembro, para participar deste momento solene e festivo para a Igreja.

 

“Para a Diocese é um grande ganho, pois os diáconos permanentes são um braço forte no trabalho de evangelização”, declarou o bispo. “Com o auxílio do serviço deles, conseguimos fazer com que a mensagem de Cristo chegue a mais pessoas, por meio da sua Palavra e dos Sacramentos”, completou.

 

O vigário forâneo, Padre Edivaldo Silva, explica que o diácono é o homem da palavra, da mesa e da caridade. “O diácono participa na missão e graça de Cristo, sendo configurado servidor de todos. Portanto, a presença do diácono na Diocese de Tocantinópolis, constitui um importante enriquecimento para a missão da Igreja, sendo responsável por servir, cuidar e ajudar os que mais necessitam, como expressividade do sinal concreto do amor de Deus”.

 

Novos Diáconos Permanentes

A Diocese de Tocantinópolis já contava com três diáconos permanentes, agora passa a ter oito. Os recém-ordenados já iniciaram suas atividades em suas respectivas paróquias.

 

Almeci Texeira Lima- Paróquia São Pedro Apóstolo - Nova Olinda/TO;

Dilson Antônio da Silva - Paróquia São Sebastião – Araguaína/TO;

Glauco Mora Ribeiro - Santuário Sagrado Coração de Jesus – Araguaína/TO;

Werbehtt Alves da Silva - Paróquia Nossa Senhora do Carmo- Carmolândia/TO;

Reinaldo José da Silva - Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Araguaína/TO.

 

Quem pode ser diácono?

O diácono permanente pode ser um homem solteiro, casado ou viúvo e tem quase as mesmas funções que o sacerdote, exceto consagrar a Eucaristia, ministrar o sacramento da unção dos enfermos e atender confissões. No entanto, o diácono pode realizar celebrações religiosas, como batizados e casamentos.

 

Assim como o padre, o diácono é ordenado pelo bispo após concluir o curso de Teologia. São cinco anos de formação, que envolvem ainda temas como Marialogia, Bíblia, Pastoral, Direito Canônico, Sacramentos e sacramentais, dentre outros.

 

Além disso, é preciso ter no mínimo 35 anos. Se for casado, necessita de um consentimento por escrito da esposa e que o matrimônio tenha ocorrido há pelo menos cinco anos. Se receber a ordenação estando solteiro ou viúvo, só poderá casar-se mediante renúncia do diaconato.

COMPARTILHE:


Confira também:


Especial

Entenda os limites para o comportamento no Carnaval; novas leis endurecem excessos

Pelo segundo ano consecutivo, os brasileiros vão brincar tendo como limite a Lei 13.718/2018, que criou o crime de importunação sexual


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira