Palmas, 29/05/2017

Geral

Agrotins 2017

Estudantes participam de circuitos de palestras na Agrotins 2017

  • Nesta edi√ß√£o, a Feira recebeu, inclusive, acad√™micos do Instituto Federal de Educa√ß√£o do Par√° (IFPA)

Wherbert Araujo

Estudantes participam de circuitos de palestras na Agrotins 2017



Wherbert Ara√ļjo/Governo do Tocantins
 
Com uma média de 20 mil pessoas visitando por dia a Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins Brasil 2017), muitos participantes aproveitam a vasta programação de cursos, minicursos, palestras e dias de campo para se reciclar e adquirir novos conhecimentos. Nesta edição, a Feira recebeu, inclusive, acadêmicos do Instituto Federal de Educação do Pará (IFPA).

Para Luiz Fernando Pereira, t√©cnico agropecu√°rio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), que tamb√©m √© acad√™mico do curso de Agronomia do IFPA em Concei√ß√£o do Araguaia (PA), a oportunidade de visitar a Agrotins 2017 auxilia n√£o s√≥ na forma√ß√£o acad√™mica como tamb√©m no seu trabalho di√°rio. "√Äs vezes, na faculdade, estudamos um assunto com bibliografia antiga. Quando chegamos aqui, podemos nos informar das atualiza√ß√Ķes e das novas tecnologias no manejo da mandioca, que √© o meu interesse de pesquisa", afirmou.

Já a acadêmica Tracy Kelly Mota dos Santos, a oportunidade de visitar a Agrotins pela primeira vez trouxe também novos conhecimentos. "A realidade do meu estado difere um pouco desta região, mas podemos adaptar e é esse o meu objetivo como acadêmica de Agronomia", ressaltou.

Gest√£o de Recursos Naturais

Para as acad√™micas do curso de Gest√£o Ambiental do IFPA, Ludmila Aparecida Fernandes e Graciele Silva Lemes, as inova√ß√Ķes no reuso e na economia dos recursos naturais foram os grandes pontos observados durante dois dias de visitas na Agrotins. "Pude observar o manejo da atividade de piscicultura que economiza √°gua e ainda a reutiliza em outros processos", afirmou Ludmila.

Para Graciele, cujo trabalho de conclus√£o de curso est√° focado em sistemas agroflorestais, a visita a uma unidade demonstrativa trouxe novos aprendizados. "Aqui, na Agrotins, foi apresentada a integra√ß√£o de abelhas sem ferr√£o na unidade e isso pode ser considerado mais um ganho ambiental e para o produtor", afirmou. 

Segundo o professor de Sociologia Bruno Borda, o interc√Ęmbio dos estudantes favorece o crescimento educacional. "Esse contato com produtores e t√©cnicos que atuam nas √°reas de pesquisa dos acad√™micos √© muito produtivo", disse.

Ensino Médio

Estudantes do curso de T√©cnico Agropecu√°rio de Natividade, na regi√£o sudeste do Tocantins, tamb√©m buscam aprimorar os conhecimentos na Agrotins. Para Mateus Alves Sirqueira e Ana L√ļcia Le√£o, do segundo semestre, se interessaram por aprender mais t√©cnicas de manejo da cultura da mandioca. "As informa√ß√Ķes repassadas v√£o servir para implementar meus estudos", ressaltou Mateus.

Agrotins

Na sexta-feira, 12, a programa√ß√£o segue com diversas atividades, como palestras, oficinas, aberturas de exposi√ß√Ķes, workshops, roteiros e pr√°ticas sustent√°veis com o objetivo de capacitar, principalmente, os produtores tocantinenses. Ao todo, ser√£o mais de duas mil capacita√ß√Ķes. A estimativa √© de que aproximadamente 100 mil pessoas, com as caravanas dos pequenos produtores dos 139 munic√≠pios, visitem o Centro Agrotecnol√≥gico de Palmas, durante a Feira. A Agrotins √© uma realiza√ß√£o do Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecu√°ria (Seagro) e suas vinculadas (Ruraltins, Adapec e Itertins), em parceria com institui√ß√Ķes p√ļblicas, iniciativa privada e entidades de classe ligadas ao setor agropecu√°rio. 


Confira também


Coment√°rios

comments powered by Disqus