Palmas, 23/08/2017

Saúde

Viver

Mudança de hábitos é fundamental para combater o colesterol alto

  • Dia 8 de agosto é o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, e a melhor forma de enfrentá-lo é evitar os fatores de risco como alimentação inadequada e sedentarismo


Redação Semus

Dia 8 de agosto é o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, e a melhor forma de enfrentá-lo é evitar os fatores de risco como alimentação inadequada e sedentarismo. Ou seja, é necessária a mudança de hábitos alimentares associada à prática de exercícios físicos. Mas antes de falarmos sobre o combate, vamos explicar o que é colesterol.
 
O colesterol é um tipo de gordura (lipídio) presente no organismo humano e fundamental para seu funcionamento. A parede das células é formada por proteína e colesterol, sendo que esta gordura facilita a entrada de nutrientes e ao mesmo tempo a saída de escretos.
 
Mas se é fundamental, por que faz mal? Na verdade, existem dois tipos de colesterol: o HDL (Low Density Lipoprotein ou lipoproteína de baixa densidade) e o LDL (High Density Lipoprotein ou lipoproteína de alta densidade). O primeiro é considerado bom e o segundo ruim. O HDL carrega o colesterol pelas artérias, não o deixando permanecer alojado nas veias, transportando o colesterol de volta ao fígado para que ele seja excretado. Já o LDL transporta o colesterol de células que produzem mais do que usam para células que mais precisam. Com o passar do tempo, ele leva ao acúmulo de placas de gordura nas paredes internas das artérias, diminuindo o fluxo de sangue para órgãos importantes, como o coração e cérebro, podendo ocasionar doenças cardiovasculares como infarto e acidente vascular cerebral.
 
Equilíbrio alimentar
 
A nutricionista Fernanda Nolêto, que atua no Centro de Saúde da Comunidade da Arso 41, ressalta que é importante o equilíbrio entre ambos, pois as taxas altas trazem problemas à saúde. "O ideal é que todos se alimentem de uma maneira mais saudável, seguindo as orientações do Guia Alimentar para a população brasileira que auxilia no combate à obesidade e ao avanço das doenças crônicas, assim como dos altos índices de LDL colesterol", explica. 
 
Ainda segundo ela, o guia orienta que a alimentação tenha como base alimentos frescos (frutas, carnes, legumes) e minimamente processados (arroz, feijão e frutas secas), além de evitar o consumo de produtos ultraprocessados (como macarrão instantâneo, salgadinhos de pacote, biscoitos recheados, pratos prontos para o consumo e refrigerantes).
 
Exercício físico regular é fundamental
 
Combater o sedentarismo é fundamental. "Outro fator importante é ter uma rotina de exercícios físicos com orientação de profissionais qualificados. Mas a gente sabe que a correria do dia a dia traz maus hábitos alimentares e leva ao sedentarismo. Aí chega um momento que o nosso corpo começa a dar sinais de que não está bem. As alterações nos níveis de colesterol, principalmente elevação do LDL colesterol, é um deles", alerta a nutricionista.
 
Fernanda ressalta ainda que o fato de não estar com bons índices de colesterol seja sinônimo de que a pessoa não possa reverter o quadro, pois a mudança de hábitos é sim possível para todos."Preferir uma alimentação mais natural com alimentos caseiros, frescos e evitar o consumo de alimentos de origem animal e ricos em gordura trans, presentes principalmente nos produtos ultraprocessados, auxiliará nessa mudança. Aos poucos a pessoa se adapta e vê o quanto é importante ser saudável", reforça.
 
Guia Alimentar da População Brasileira - os dez passos para uma alimentação adequada e saudável

1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação;
2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias;
3. Limitar o consumo de alimentos processados;
4. Evitar o consumo de alimentos ultra processados;
5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia;
6. Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados;
7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias;
8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece;
9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora;
10. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais.
 
--
Secretaria Municipal de Comunicação de Palmas


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus