Palmas, 13/12/2017

√öltimas

Febrace

Alunos da Anne Frank aperfeiçoam projeto sobre energia fotovoltaica

  • A coorientadora Seila Pugas conta que foi identificada, ap√≥s a experi√™ncia na 15¬™ Febrace, a necessidade de ampliar os conhecimentos t√©cnicos dos alunos, uma vez que o assunto √© complexo para a idade deles

Luara Jaccoud

Alunos da Anne Frank aperfeiçoam projeto sobre energia fotovoltaica



Vencedores do pr√™mio Destaque Feira Brasileira de Ci√™ncias e Engenharia (Febrace) durante a 3¬™ edi√ß√£o da Feira de Ci√™ncias, Inova√ß√£o e Tecnologia 2016 (Fecit), com o projeto Energia Fotovoltaica: Uma solu√ß√£o para as escolas p√ļblicas, os alunos da Escola Municipal Anne Frank Gabriel Davi Vieira, Guilherme Ferreira e Samuel Ribeiro j√° est√£o em fase de aperfei√ßoamento desse mesmo projeto para a Fecit 2017. 

Com o objetivo de disseminar informa√ß√£o e promover o acesso a esse tipo de gera√ß√£o de energia para as fam√≠lias palmense, os alunos levantaram os resultados dos dados coletados na primeira etapa e buscam aprimorar o projeto com a parceria da Liga acad√™mica de Energia Solar (Lies),  da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

A coorientadora Seila Pugas conta que foi identificada, ap√≥s a experi√™ncia na 15¬™ Febrace, a necessidade de ampliar os conhecimentos t√©cnicos dos alunos, uma vez que o assunto √© complexo para a idade deles. "Participei de uma reuni√£o com o presidente da Lies, Fabriciano Gomes, onde afinamos nossas ideias sobre o projeto. Nesta primeira quinzena de agosto, iremos nos encontrar com os demais integrantes para dar continuidade a essa parceria com os acad√™micos de engenharia el√©trica de UFT", revela. 

Ainda segundo Seila, o foco agora √© trabalhar ideias com as fam√≠lias dos estudantes e servidores do Anne Frank, realizar pesquisa de campo, ensinar como fazer os c√°lculos de gastos com energia e promover workshops voltados para a tem√°tica de energia renov√°vel. 
 
Captação de luz solar
 
O sistema escolhido para o projeto é o Grid-tie, que consiste na captação da luz solar que é convertida em eletricidade para ser distribuída a toda a escola. "Nosso projeto tem como proposta instalar 624 placas de captação de energia solar, produzindo acima do necessário para consumo, para então a energia excedente retornar para a escola no período noturno, compensando o período que não há funcionamento das placas", explica Samuel.
 
Segundo Samuel, o tema de estudo surgiu após tomarem conhecimento do elevado gasto com contas de energia na escola, que, segundo a responsável financeira da unidade, Shirlene Lemes, é em média R$ 4 mil. E isso pode pesar ainda mais. De acordo com o Secretário Executivo da Secretaria Municipal Extraordinária de Projetos, Captação de Recursos e Energias Sustentáveis, Sergio Faria, após a instalação dos aparelhos de ar-condicionado, esse valor deve chegar a R$ 15 mil mensais.
 
A mãe do Samuel, Silvania Ribeiro, se orgulha do empenho que os alunos tiveram para participar desse evento. "Pra mim como mãe foi muito gratificante, independente se eles fossem ganhar alguma premiação ou não, só eles estarem em São Paulo, participando da Febrace, conhecendo outros estudantes e vendo as oficinas. Eu tenho certeza que para o aprendizado deles, como pessoa, como estudante e como futuros profissionais, foi muito recompensador e eles vão levar para o resto da vida deles", relata.
 
--
Secretaria Municipal de Comunicação de Palmas


Confira também


Coment√°rios

comments powered by Disqus